O Processo de Enfermagem no Exame Sérico de Albumina

Tempo de leitura: 2 minutos

Nesse post conheceremos um pouco mais sobre o exame que mede os níveis séricos de albumina, considerando que a albumina é a proteína mais abundante e constitui quase 54% das proteínas plasmáticas.

A albumina é uma proteína sintetizada no fígado que está presente no plasma do sangue, ajuda nas funções do organismo como na manutenção da pressão osmótica, no controle do pH, transporte dos hormônios tireoideos e lipossolúveis e dos ácidos graxos livres. A falta de albumina pode acarretar insuficiência hepática aguda, colite ulcerativa, desnutrição grave e cirrose. Já o excesso pode causar vômitos intensos, desidratação e diarreia intensa.

As principais finalidades do exame são: ajudar a estabelecer se o paciente tem doença hepática ou renal e determinar se proteína suficiente está sendo absorvida pelo corpo.

Valores de Referência

Adultos: 3,5 a 4,8 g/dℓ (SI, 35 a 48 g/ℓ).

Crianças: 2,9 a 5,5 g/dℓ (SI, 29 a 55 g/ℓ).

Interferência

Uso de heparina (aumento).

Uso de penicilina, sulfonamidas, ácido acetilsalicílico e ácido ascórbico (diminuição).

Orientações de Enfermagem

Antes do Exame

Confirmar a identidade do paciente usando dois identificadores, de acordo com as normas da instituição.

– Comunicar ao paciente que não há necessidade de restrição de líquidos.

– Explicar ao paciente o procedimento de punção venosa.

– Informar ao paciente que poderá sentir leve desconforto devido ao torniquete e da picada da agulha.

– Esclarecer ao paciente que determinados medicamentos podem aumentar os níveis de albumina, incluindo androgênios, esteroides anabólicos, hormônio do crescimento (GH) e insulina. Pode haver necessidade de interrupção do uso dos medicamentos antes do exame.

Durante o Exame

– Efetuar uma punção venosa e coletar 5 a 10 mℓ em tubo de tampa vermelha.

Após o Exame

– Realizar pressão direta no local da punção venosa até a interrupção do sangue.

– Estimular o paciente a consumir uma dieta rica em proteínas, se não houver contraindicações.

– Notificar os resultados anormais ao médico.

– Preparar para a administração de líquidos IV para restaurar o volume e os eletrólitos.

– Preparar para a administração de albumina IV após prescrição.

Esperamos ter conseguido esclarecer um pouco mais sobre esse assunto. Agradecemos e até o próximo!

 

REFERÊNCIAS

FISCHBACH, F. T. Exames laboratoriais e diagnósticos em enfermagem. 9. ed. – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2016
SMELTZER SC, Bare BG. Brunner&Suddarth: Exames Complementares. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011

Comentários

comentários