Sem categoria

Entendendo a Síndrome Nefrítica Aguda

Entendendo a Síndrome Nefrítica Aguda

4 minutos Hoje falaremos um pouco sobre a síndrome nefrítica aguda que é a manifestação clínica da inflamação glomerular (inflamação dos capilares glomerulares), a qual pode ocorrer nas formas aguda e crônica. Das doenças glomerulares primárias, existem a glomerulonefrite rapidamente progressiva, a glomerulonefrite pós-infecciosa, a glomerulonefrite membranosa e a glomerulonefrite membranoproliferativa. A causa pós-infecciosa consiste na faringite por estreptococos beta-hemolíticos do grupo A que antecede o início da glomerulonefrite em 2 a 3 semanas. Em alguns pacientes, antígenos externos ao corpo (medicamentos, soro estranho) iniciam Continue lendo

Enfermagem e a Digestão dos Alimentos

Enfermagem e a Digestão dos Alimentos

9 minutos Como profissionais da Enfermagem, temos que entender a importância de cada elemento da alimentação para que possamos ajudar os pacientes em suas necessidades nutricionais ou digestivas no processo de saúde-doença. Nosso sistema gastrointestinal é complexo, porém não é difícil entender suas funções. Após uma refeição, os nutrientes presentes nos alimentos devem chegar às células. No entanto, a maioria deles não as atinge diretamente. Precisam ser transformadas para então, nutrir o nosso corpo. Isto porque as células só conseguem absorver nutrientes simples e Continue lendo

Assistência de Enfermagem na Meningite

Assistência de Enfermagem na Meningite

8 minutos Neste post falaremos sobre a meningite, uma inflamação das meninges causada por vírus, bactérias ou fungos. É classificada em séptica ou asséptica, esta última pode ser viral ou secundária ao comprometimento do sistema imune como, leucemia, linfoma ou vírus da imunodeficiência humana (HIV). Já a forma séptica é causada por bactérias, como Neisseria meningitidis e Streptococcus pneumoniae, são responsáveis por 80% dos casos de meningite bacteriana. Os grupos comunitários densos têm a tendência de ocorrência do surto de infecção por N. meningitidis, Continue lendo

Você Já Ouviu Falar em Fenômeno de Raynaud e a Atuação do Enfermeiro?

Você Já Ouviu Falar em Fenômeno de Raynaud e a Atuação do Enfermeiro?

4 minutos Neste post conheceremos um pouco mais sobre o fenômeno de Raynaud e a atuação do enfermeiro. Fenômeno de Raynaud é um tipo de vasoconstrição arteriolar intermitente, durante a qual o paciente sente dor, sensação de frio, palidez nas pontas dos dedos das mãos e pés. Esse distúrbio existe de duas formas, primária ou idiopática (doença de Raynaud), a qual ocorre na ausência de doença subjacente. Já a secundária (síndrome de Raynaud) ocorre em associação à doença subjacente, frequentemente um distúrbio do tecido Continue lendo

Cuidados de Enfermagem no Exame de Tomografia Computadorizada do Cérebro

Cuidados de Enfermagem no Exame de Tomografia Computadorizada do Cérebro

5 minutos Nesse artigo abordaremos a atuação da enfermagem na tomografia computadoriza (TC) do cérebro ou TC intracraniana. Nesse exame, é realizada uma série de tomogramas, os quais são traduzidos por um computador e exibidos em um monitor, aparecendo diversas imagens de várias camadas do cérebro em corte transversal. Essa técnica pode reconstruir imagens nos planos transversal, sagital, horizontal e coronal. Centenas de milhares de leituras de níveis de radiação absorvidos pelos tecidos cerebrais podem ser combinados para fornecer fatias anatômicas de espessura variável. Continue lendo

Papanicolaou: Como Deve Ser Realizada a Coleta?

Papanicolaou: Como Deve Ser Realizada a Coleta?

7 minutos Quem faz parte da população para rastreamento do Câncer de colo de útero? É imprescindível que antes de qualquer procedimento haja a reflexão: Qual a faixa etária/ população-alvo preconizada? Existe algum benefício em realizar o procedimento fora da população-alvo? Quais os riscos de realizar um diagnóstico fora da população-alvo? Antes desse artigo, convido você a ler meus outros dois artigos antes sobre a temática, pois te trarão maior fundamentação antes de saber qual o procedimento propriamente dito. Clique nos links abaixo caso Continue lendo

O Papel do Enfermeiro no Rastreamento do Câncer de Colo do Útero em uma Unidade Básica de Saúde

O Papel do Enfermeiro no Rastreamento do Câncer de Colo do Útero em uma Unidade Básica de Saúde

3 minutos O enfermeiro tem papel fundamental nos programas de saúde pública, dentre os quais o de Rastreamento de Câncer de Colo Uterino em Unidades Básicas de Saúde. Ou seja, ele é o responsável por organizar o fluxo, a rotina de atendimento às mulheres dentro da população-alvo residentes na área de abrangência para tornar possível a coleta de Papanicolaou e que esta seja realizada com excelência. O objetivo dessa organização é melhorar o atendimento, otimizar o acesso, gerar informação consistente e contribuir para a Continue lendo

O Câncer de Colo de Útero e sua Relação com o HPV

O Câncer de Colo de Útero e sua Relação com o HPV

9 minutos Epidemiologia do Câncer de Colo do Útero O câncer de colo de útero é considerado um grave problema de saúde pública, visto que é a 3ª neoplasia mais incidente entre as mulheres. Acontecem cerca de 528 mil novos casos por ano e é responsável por 275 mil mortes todos os anos, sendo que 85% dessas mortes acontecem em países em desenvolvimento. Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) estimam cerca de 15.590 casos de câncer de colo de útero no ano de Continue lendo

Manejo de Enfermagem na Doença Inflamatória Pélvica (DIP)

Manejo de Enfermagem na Doença Inflamatória Pélvica (DIP)

7 minutos A doença inflamatória pélvica (DIP) é uma inflamação da cavidade pélvica, que pode iniciar com cervicite e atingir o útero (endometrite), as tubas uterinas (salpingite), os ovários (ooforite), o peritônio pélvico ou o sistema vascular pélvico. A infecção pode ocorrer de forma aguda, subaguda, recorrente ou crônica; ser localizada ou disseminada. Costuma ser causada por bactérias, porém pode ser atribuída a algum vírus, parasita ou fungo. As causas mais comuns consistem em microrganismos gonorréicos e clamídias. Os microrganismos patogênicos penetram no corpo Continue lendo

Sarcoma de Kaposi e o Manejo de Enfermagem

Sarcoma de Kaposi e o Manejo de Enfermagem

4 minutos Sarcoma de Kaposi (SK) é uma neoplasia maligna que atinge a camada endotelial dos vasos sanguíneos e linfáticos e a mais comumente relacionada ao HIV, tendo sido descrita pela primeira vez em 1872 pelo médico Moritz Kaposi . Em pacientes infectados pelo HIV, o SK epidêmico é notado com mais frequência entre homens homossexuais e bissexuais. Também é mais comum em pacientes do sexo feminino, parceiras de homens bissexuais, do que aquelas parceiras de usuários de drogas injetáveis. Nos casos de SK Continue lendo