Maria Sônia Batista dos Santos

Enfermeira do Centro Universitário Ceso Lisboa Rio de Janeiro. Pós Graduada em Oncologia D Faculdade Veiga de Almeida e especializando em Enfermagem em Endoscopia do Hospital Sírio Libanês em São Paulo.

Enfermagem e a Digestão dos Alimentos

Enfermagem e a Digestão dos Alimentos

9 minutos Como profissionais da Enfermagem, temos que entender a importância de cada elemento da alimentação para que possamos ajudar os pacientes em suas necessidades nutricionais ou digestivas no processo de saúde-doença. Nosso sistema gastrointestinal é complexo, porém não é difícil entender suas funções. Após uma refeição, os nutrientes presentes nos alimentos devem chegar às células. No entanto, a maioria deles não as atinge diretamente. Precisam ser transformadas para então, nutrir o nosso corpo. Isto porque as células só conseguem absorver nutrientes simples e Continue lendo

O Uso da Papoterapia na Endoscopia Digestiva nos Pacientes em Pré-Cirurgia Bariátrica

O Uso da Papoterapia na Endoscopia Digestiva nos Pacientes em Pré-Cirurgia Bariátrica

8 minutos *Relato da enfermeira de um serviço do Rio de Janeiro A cirurgia bariátrica – também conhecida como cirurgia da obesidade, ou, popularmente, redução de estômago – reúne técnicas com respaldo científico destinadas ao tratamento da obesidade e das doenças associadas ao excesso de gordura corporal ou agravadas por ele. O conceito metabólico foi incorporado há cerca de seis anos pela importância que a cirurgia adquiriu no tratamento de doenças causadas, agravadas ou cujo tratamento e controle é dificultado pelo excesso de peso Continue lendo

Telenfermagem / Telecuidado – A Enfermagem Também Pode! Por Que Não?

Telenfermagem / Telecuidado – A Enfermagem Também Pode! Por Que Não?

5 minutos A telenfermagem é a utilização dos recursos tecnológicos e dos sistemas de comunicação em prol do desenvolvimento da enfermagem. Vários países utilizam a telenfermagem na gestão de cuidados de saúde com resultados positivos. Na enfermagem brasileira, este é um campo a ser explorado, já sendo utilizada por muitos serviços públicos e privados. O uso da telenfermagem para prestar cuidado de enfermagem consiste em qualquer assistência de enfermagem à distância, mediada em parte ou completamente, por meios eletrônicos, seguindo os princípios criados pela Continue lendo

Atuação do Enfermeiro na Terapêutica Medicamentosa de Pacientes com Doença Inflamatória Intestinal

Atuação do Enfermeiro na Terapêutica Medicamentosa de Pacientes com Doença Inflamatória Intestinal

10 minutos Durante anos, o tratamento medicamentoso utilizado por pacientes com doenças inflamatórias intestinais (DIIs) manteve-se o mesmo: derivados do ácido salicílico e imunossupressores, principalmente a azatioprina e o metotrexate. Aos pacientes que apresentavam recidivas frequentes da doença, eram oferecidos re-tratamentos com os corticosteroides, que são drogas excelentes para induzir remissão, mas que, a longo prazo, provocam complicações tão ou mais graves do que a própria doença. À medida que a fisiopatologia envolvida nas DIIs foi mais bem esclarecida, surgiu a possibilidade de novas Continue lendo

Assistência de Enfermagem nas Doenças Inflamatórias Intestinais

Assistência de Enfermagem nas Doenças Inflamatórias Intestinais

15 minutos A doença inflamatória intestinal (DII) consiste em qualquer processo inflamatório envolvendo o trato gastrointestinal. Pode ser classificada em doença inflamatória de causa conhecida (infecções, parasitoses, enterocolites e outros) ou de causa desconhecida, em que 80 a 90% dos casos correspondem a retocolite ulcerativa (RCU) e Doença de Crohn (DC). A DC é uma doença inflamatória séria do trato gastrointestinal que afeta predominantemente a parte inferior do intestino delgado (íleo) e intestino grosso (cólon). Entretanto, pode afetar qualquer parte do trato gastrointestinal (desde Continue lendo

Conhecendo a Especialidade de Enfermagem em Endoscopia

Conhecendo a Especialidade de Enfermagem em Endoscopia

5 minutos A enfermagem em endoscopia surgiu com a evolução dos instrumentos e técnicas endoscópicas em 1940, quando os endoscopistas da época passaram a precisar de um assistente durante os procedimentos endoscópicos. Desde então, tem sido uma busca incessante para aperfeiçoar e especializar o profissional da enfermagem a cumprir esse papel nos grandes centros endoscópicos. Internacionalmente, só em 1974 foi formada a primeira Sociedade dos Assistentes Gastrointestinais (SGA). No Brasil, foi em 1998 que foi fundada a Sociedade Brasileira de Enfermagem em Endoscopia Gastrointestinal Continue lendo

Suporte da Enfermagem no Preparo da Colonoscopia

Suporte da Enfermagem no Preparo da Colonoscopia

14 minutos A colonoscopia é um exame endoscópico que possibilita a visualização do intestino grosso: reto, cólon sigmoide, cólon descendente, cólon transverso, cólon ascendente e ceco; e da porção final do intestino delgado: íleo terminal. Pode ser realizado com sedação ou anestesia, utilizando medicação administrada por via endovenosa. É solicitada no intuito de diagnosticar e, quando possível, tratar doenças que acometem o trato gastrointestinal baixo. É realizada pela introdução de um fino aparelho flexível com iluminação central que permite a visualização do revestimento mucoso Continue lendo

Hemorragia Digestiva Alta sob a ótica do Enfermeiro do serviço de endoscopia

Hemorragia Digestiva Alta sob a ótica do Enfermeiro do serviço de endoscopia

14 minutos A hemorragia digestiva alta (HDA) é uma emergência clínica relativamente frequente, com episódios discretos até sangramento que ameaça a vida. As hemorragias podem ser provenientes de qualquer área do sistema gastrointestinal. No entanto, a HDA origina-se do trato digestório proximal ao ângulo de Treitz, podendo ser de origem varicosa ou não varicosa. Devido à perda súbita e maciça de sangue, tem como consequência a má perfusão e a baixa oxigenação residual, o que pode acarretar em alto risco de isquemia, podendo ser Continue lendo

Cuidados de Enfermagem com Gastrostomia Endoscópica Percutânea

Cuidados de Enfermagem com Gastrostomia Endoscópica Percutânea

8 minutos O cuidado de enfermagem com a gastrostomia endoscópica percutânea (GEP) é de suma importância para o paciente e seu familiar. Possuir uma GEP requer cuidados e orientações específicas, desde o internamento hospitalar até o domicílio. A sistematização desses cuidados pelo enfermeiro requer organização, avaliação, planejamento e implementação, juntamente com as pessoas envolvidas nesse processo. Cabe ressaltar que o procedimento de troca de sonda de gastrostomia pode ser realizado pelo enfermeiro, desde que se sinta devidamente capacitado e não ofereça riscos ao paciente, Continue lendo